28.06.2017

Assine Raul Marcelo

Raul Marcelo

Mandato entrará com representação no TCE e MP para investigar possível desvio de verba do governo na educação

06/08/2017 0

Mandato entrará com representação no TCE e MP para investigar possível desvio de verba do governo na educação

Like 0

 

Diante do desfalque de R$ 5 bilhões na educação estadual, o deputado estadual Raul Marcelo (PSOL) entrará nos próximos dias com uma representação tanto no TCE (Tribunal de Contas do Estado) quanto no Ministério Público para solicitar a abertura de uma investigação sobre o possível desvio do governo Alckmin na destinação de recursos para a área educacional. O parlamentar também vai protocolar na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) um pedido para que o secretário estadual da Educação, José Renato Nalini, preste esclarecimentos a respeito desta situação.

 

Segundo Raul Marcelo, a Constituição paulista exige que 30% das receitas sejam investidas na manutenção e desenvolvimento do ensino. “Porém, o percentual chegou ao patamar de 25% ao descontar o gasto com aposentados. Só no ano passado, R$ 5,1 bilhões declarados como investimentos em educação foram desviados para outra área”, explica.

 

O deputado do PSOL comparou esta manobra do governo estadual com a do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. “O que o ‘Santo’ – codinome na lista de propinas da Odebrecht – vem fazendo com a educação é ilegal e pode ser considerado, sim, como caso de afastamento do seu cargo de governador, já que não está investindo 30% do orçamento estadual na educação paulista”, relata.

 

“O atual governador deveria estar preocupado com o índice de analfabetismo; crianças e adolescentes fora da sala de aula; professores sem reajuste salarial; e falta de infraestrutura nas escolas. E o que o ‘Santo’ faz com essa área tão importante para o Estado de São Paulo? Tira recursos da pasta educacional para cobrir rombos da SPPrev (Previdência) causados por sua gestão e de outros governantes que também são do PSDB. Isso é gravíssimo. Temos que investigar e, se for necessário, puni-lo conforme a lei”, conclui.

 


Vídeos

ver mais